Curso R para não Programadores

November 18, 2016 2 comments Posted in R para não Programadores

A nossa idéia e desconstruir o formato tradicional de cursos de linguagens de programação no estilo bottom up, onde todos os conhecimentos básicos e estruturas precisam estar dominadas antes de se pensar em produzir soluções interessantes.

O público alvo é o “common man/woman”,  termo na moda em 2016, daí “R para Não Programadores”, mas a pergunta que não quer se calar  “Porque aprender sobre Programação?

Porquê?

Um dos argumentos é o crescimento pessoal, aprender coisas novas, quebrar paradigmas, ou algo mais pragmático, como  automatizar tarefas repetitivas e economizar seu tempo para tarefas mais nobres. Ao longo de minha carreira pude observar times inteiros operando manualmente sobre listas de dados, planilhas, coletas de dados na internet manualmente.  Dezenas, centenas de homens-hora despendidas em tarefas que poderiam ser resolvidas semi automaticamente e reservando o tempo nobre para analisar e filtrar a informação coletada.

Outro argumento forte é que saber programar, nem que seja um pouco, pode ser um diferencial em sua carreira.

Inúmeros artigos na mídia tem apontado o impacto positivo sobre o seu currículo, tornando você um profissional diferenciado. ( Learn These 4 Skills to Boost Your CareerLearn These 4 Skills to Boost Your Career, Why computer code is the new language to learn).

Há inclusive um debate sobre se “todo mundo” deveria aprender a programar como apregoado por figuras como Bill Gates or Mark Zuckerberg, ou se a questão é mais profunda, estaria mais ligada ao conjunto de conceitos apreendidos ao longo de cursos de Ciência da Computação (Don’t learn to code. Learn to think), onde se aprende a “pensar” de um certo modo.

Ao meu ver algo entre os dois extremos!

Inevitavelmente ao seu aprofundar em desenvolver programas, será necessário estudar estruturas lógicas usadas em algoritmos que acabam impactando o modo como percebemos e realizamos o mundo a nossa volta.

Impacto similar acontece quando vencemos a resistência a Estatística e Probabilidades e passamos a observar o que nos cerca ante o esperado e o inesperado, o determinístico e o aleatório. Recomendo a leitura de “O andar do bêbado: Como o acaso determina nossas vidas” do Mlodinow.

Voltando ao nosso tema! Se você já possui alguma afinidade com tratamento de dados em planilhas de Excel, quem sabe o Access, verá como o R pode complementar e muito o que pode ser feito com essas ferramentas. Não são excludentes, mas complementares. A todo momento estaremos importando e exportando dados entre Excel e o R.

Se você já sofreu com grandes tabelas dinâmicas em Excel ou PROCVs extremamente demoradas, verá como o R resolve problemas similares com extrema rapidez.  Temos um exemplo aqui.

adobestock_103722840_lowSe está apenas curioso e que gostaria de visualizar seus dados livre das limitações das ferramentas tradicionais, comparar indicadores, capturar dados na web, etc. sinta-se bem-vindo. Não precisa ser Matemático, Estatístico ou Mestre ou Engenheiro, por sinal o R é usado há muito tempo na área das Ciências Sociais. Vamos brincar com alguns números e no durante o processo procurar aprender e nos divertir, acreditem se quiserem, Programando.

Para quem já usa o R e já tempos não tem olhado para as últimas novidades, pode ter aqui uma oportunidade para acompanhar algumas. Uma leitura transversal pode ser o suficiente para motivar uma busca mais detalhada.

O R, em inúmeras aplicações, tem o Poder de Resolver problemas bem interessantes, mesmo para quem ainda dá os seus primeiros passos em estruturas de lógica de programação.

Nosso papel aqui é de tentar disparar essa centelha, motivar.  Ao longo das lições inúmeras referências e citações irão indicar como estender o que aqui aprender.

Formato

Problema > Solução > Detalhamento.

A nossa proposta é oferecer desde o início desafios,  problemas que façam sentido  como aplicações práticas e que possam ser resolvidos em partes menores, progressivamente.

Entre essas partes, pausas.

Pausas de Detalhamento, onde se procura explicar com um pouco mais de detalhe algo que foi usado de modo semi-mecânico nas unidades anteriores, mas evitando sempre o estilo manual de referência.

Shiny

Shiny é para mim a maior novidade no mundo R dos últimos anos.

O Shiny é um “framework” para o desenvolvimento de aplicações interativas para a web em R.

Hã ????

Sim, sem que você tenha que aprender técnicas de produção de sites para web, sem a necessidade de aprender HTML, CSS e Javascript, o seu pequenino programa R, por menor que seja, pode ser tornar com relativo pouco esforço em um aplicativo na internet ou na rede da sua empresa*.

Veja por exemplo a aplicação a seguir. Não é uma imagem estática, é uma aplicação real e interativa. Experimente os controles e observe os resultados.

O objetivo é simples e interessante, contar as palavras que ocorrem em 3 livros de Shakeaspere e filtrar número máximo de palavras (Maximum Number of Words) que serão exibidas acima de uma determinada frequência (Minimum Frequency).

As nossos exemplos de aplicações sempre irão culminar em uma versão Shiny. Na altura apropriada falaremos  sobre algumas opções de como publicar as suas aplicações para o Mundo.

Conteúdo e Aplicações

Feito esse prefácio, fique atento, o nosso objetivo é apresentar coisas realmente “legais”, ” como :

  1. Representação de Dados em Mapas;
  2. Captura e Análise de Dados em Redes Sociais;
  3. Captura e Análise de Textos de Páginas da Web, entre outras e é claro,
  4. Análise Exploratória de Dados.

Aplicações mais especializadas estarão fora do nosso escopo, mas se formos bem sucedidos, você já terá mordido a isca e poderá seguir por conta própria.

Estatística?

Um Pouco, mas aprimorar o nosso ‘paladar’ pela Estatística em várias aplicações e oportunidades de trabalho é simplesmente Fundamental.

Se você tem trauma com Estatística, respire fundo, ela virá, mas virá mais tarde, em doses homeopáticas. Não faltam excelentes obras e publicações que apresentam os conceitos estatísticos dentro do formalismo e precisão teórica requeridos para pesquisas científicas e aplicações profissionais.

Não será esse o nosso objetivo, mas com certeza o material aqui apresentado poderá trazer insigths aos mais preparados, assim como poderá servir aos que não tiveram a oportunidade ou tempo para acompanhar os recentes avanços do mundo R/RStudio.

A nossa primeira aplicação será um site interativo feito em Shiny/R que exibirá dados sobre capitais do  brasil e representará os mesmos sobre um Mapa.

img_5820864400d8e

 

A complexidade será apresentada de forma progressiva, começando com scripts em R de exibição de mapas, passando por leitura de arquivos em Excel, manipulação de dados no formato de data frames e por fim tudo junto em uma aplicação web.

No forno outra atividade com um tópico já desenvolvido será em torno de cotações da bolsa de valores.

img_581c5206b2bf9

 

Programar bem não é fácil e a curva de aprendizado pode ser longa, mas o retorno é bastante recompensador e o R pode ser uma porta interessante para esse admirável mundo novo.

Apertem os cintos.

João Carlos

Tópicos já publicados em sua ordem inversa por data de publicação:

[Projeto Capitais do Brasil]

Um conjunto de lições que giram em torno de um projeto de exibir dados de cidades do brasil. Em seu estágio final teremos um “site”, uma aplicação web, interativa, onde o usuário poderá fazer escolhas e a aplicação irá exibir em reposta: mapas, locais, dados, e sumários estatísticos simples.

Fique Atento.  Siga-nos aqui! https://twitter.com/metrico_  Em breve uma página no Facebook.

Agradeço por comentários construtivos. Seu retorno é crítico para que aprimoramento do conteúdo!

Conteúdo até o momento. 

[1] Um Mapa de sua cidade.

O primeiro mapa rápido com apenas 5 linhas de código. Iniciando com o Leaflet no R.

[2] Um Mapa de sua cidade e várias opções de visualização – R e Leaflet

Aprimorando o visual do mapa anterior com provedores de mapas de imagens.

[3]Um Mapa de sua cidade e alguns pontos turísticos – R e Leaflet

Transformando endereços em coordenadas e exibindo no mapa, por exemplo, alguns pontos turísticos de sua cidade.

[4] Um Mapa e Dados das Capitais do Brasil – Norte e Nordeste – R e Leaflet

Como ler dados do Excel, filtrar e exibir em um Mapa. Exemplo capitas do Norte e do Nordeste.

[5]  Um Mapa e Dados das Capitais do Brasil com Altitude Superior a 200 metros –  R e Leaflet

Mais sobre como filtrar dados em data frames e facilidades do RStudio.

[6] Convertendo um mapa Leaflet em um página web.

[/Projeto Capitais do Brasil]

AnáliseAprenderCursoDadosEnsinarEstatísticaExcelInicianteLeigoPasso a PassoPráticoprogramaçãoProgramadorRShiny

2 comments

  1. […] criou o código e disponibilizou, como também fez um post no seu excelente blog, que tem um “Curso de R para não programadores“. Se você ainda não conhece o blog “Métrico – gosto por métricas!” eu […]

    • jkarlos 10 months ago

      Obrigado pela referência. Precisando, é só falar.

Leave a Comment

Related Story
%d bloggers like this: